Necessidades surgidas na pandemia ditam tendências da arquitetura – Blog Altos do Central Parque
Necessidades surgidas na pandemia ditam tendências da arquitetura

O mundo da arquitetura tem transformações a cada ano, como em qualquer segmento.

O mundo da arquitetura tem transformações a cada ano, como em qualquer segmento. São as tendências que vem e vão, mas algumas ganham mais visibilidade do que outras. Graças à internet, tem sido mais fácil ter acesso a essas novidades, antes restritas a revistas físicas. Para contribuir, separamos algumas das tendências de arquitetura que estão em alta em outros países. 

Spoiler: elas estão menos materiais.

Essas tendências são o reflexo do que acontece no mundo. E podem ter como fonte diferentes inspirações, como institutos de pesquisa, normalmente em centros como Milão, Nova York, Londres, Paris, São Paulo; fatos que tiveram grande impacto mundial; e pessoas que se expressam de forma inovadora.

Neste momento, as tendências têm como inspiração o que estamos vivendo – ou gostaríamos de viver – em meio à pandemia: imóveis e ambientes maiores, natureza, conforto, espaços funcionais por conta do home office e homeschooling. A intenção tem sido resgatar a proximidade com as coisas simples da vida, para vivê-la da melhor forma.

Isso porque estar próximo da família e ficar tanto tempo em casa não era a realidade de muitas pessoas em tempos pré-pandemia. Agora, sendo essa uma necessidade, o contexto pede adaptações arquitetônicas. Por isso, as tendências do momento têm como base o conforto de poder aproveitar a própria residência tanto para o lazer, como para o trabalho e os estudos.

Nesse sentido, as mudanças são bem específicas, até porque cada caso é único. Mas, trouxemos tendências gerais e adaptáveis, acompanhe:

  • Janelas maiores, privilegiando ventilação e luz natural; 
  • Imóveis e ambientes espaçosos;
  • Plantas, para ter mais contato com a natureza;
  • Cômodos integrados, com mais de uma função;
  • Móveis rústicos, sustentáveis e com material natural;

Essas tendências de materiais sustentáveis e naturais e plantas dentro de apartamentos, nasceram como forma de gerar vida, aconchego e bem-estar nas moradias urbanas, explica a arquiteta Samantha Diefenbach.

Além dessas, também são tendências do momento: 

  • Design minimalista, com pouca informação visual e muito impacto: formas, linhas e dimensões são marcantes nesse sentido; 
  • Combinar estilos, ou seja, construir um ambiente que não seja somente rústico, por exemplo, mas que tenha elementos clássicos; 
  • Automação para portas e janelas, sensores de presença e objetos inteligentes; 
  • Customização e móveis funcionais – que têm mais de uma função. 

Seguindo ou não essas tendências, é importante entender que são referências que inspiram e podem ser adaptadas ao gosto ou necessidade de cada um. O ideal é sempre buscar elementos atemporais da construção e adaptar objetos dos ambientes às novidades, já que as tendências da moda mudam rapidamente. 

“É recomendável que as tendências sejam aplicadas e testadas em elementos soltos, de baixa complexidade ou que permitam sua substituição de forma independente, para evitar que o ambiente seja totalmente refeito se o usuário quiser acompanhar as mudanças o tempo todo”, destaca Samantha.
Independentemente de como as tendências surgem, por pessoas inovadoras que possuem alta capacidade de se expressar, fenômenos ou com base científica, elas têm diferenciais que agradam a maior parte da população – é o que as torna tendências. E para tê-las como referência é só acompanhar grandes portais e revistas especializadas pela internet. Ou, quem sabe, lançar alguma?